segunda-feira, 25 de março de 2013

Sou evangélica, meu namorado é católico, posaria nua, sou devota de Nossa Senhora de I. R.

Que o Brasil é um país eletrizante ninguém duvida; mas que tal “eletrizantismo” (termo ausente do dicionário porque acabei de inventar) na vida religiosa das pessoas já passou do limite do aceitável.

Li hoje em um respeitável jornal evangélico (neste link: http://portugues.christianpost.com/news/luana-piovani-confirma-que-e-evangelica-e-fala-sobre-o-casamento-15041/) uma reportagem que, após me refazer do susto e do engulho, me deixou a pensar sobre o que está se tornando o cristianismo evangélico no Brasil.

Alguém se declarar evangélico e apresentar uma lista tão grande de incongruências com os princípios bíblicos nos deve fazer pensar em que tipo de evangélicos a igreja brasileira está produzindo. Não nos adiantará vestirmos uma capa de modernidade, popularidade e até intelectualidade a fim de que a sociedade nos aceite e não discipular os “cristãos-novos” com uma teologia mais paulina e menos afetada pelos defeitos da famigerada teologia da prosperidade, neo-pentecostal e outras novas teologias que vão aparecendo. Produziremos números e até personalidades, mas não cristãos verdadeiros. Ninguém pode se declarar evangélico e viver uma vida tão contrária a mensagem neotestamentária!

Como considerar evangélico quem declara ter um namorado que não professa fé alguma ou professa uma visão de fé que consideramos tão incompatível? Não tenho nada contra as pessoas que são católicas, convivo com católicos que são pessoas de um caráter irrepreensível, mas é algo muito claro que a interpretação que o catolicismo faz da bíblia é antagônica à que fazem os evangélicos! Evidentemente um namoro de um evangélico com um católico, espírita, budista, muçulmano, Hare Krishna, ou qualquer outra religião seria um jugo desigual, portanto, uma desobediência ao ensino da epístola Paulina de 2ª Coríntios capítulo 6, versículos 14 ao 17! (Leia o Texto integralmente para embasar seu raciocínio)

Como considerar evangélico quem admite expor a nudez do corpo em uma revista, que embora muitos procurem um nome mais pomposo, não há como não dar o nome certo: pornográfica? A palavra pornografia vem do grego e seu sentido literal é "escrever sobre prostituta". Palavras derivadas da raiz "porn" foram usadas nos escritos do Novo Testamento para referir à prática de relações sexuais ilícitas, imoralidade ou impureza sexual em geral. Hoje podemos definir pornografia como a representação da nudez e do comportamento sexual, que é feita através de imagens animadas (filmes, vídeos, computador), fotografias, desenhos, textos escritos ou falados. A pornografia explora o sexo, vulgarizando principalmente as mulheres, chegando ao absurdo de envolver crianças nesse esquema tão mórbido. O evangelho bíblico se opõe a estas coisas com clareza! Leia em 1ª Coríntios 6: 10, Gálatas 5: 19, 21, Mateus 5: 28. Quem é verdadeiramente evangélico deve abominar tais revistas, e não posar para que suas fotos estejam nelas!

Como considerar evangélico quem parafraseia adoração a ídolos ao se dizer devoto de nossa senhora de Fulano ou fulana de tal?  Ora! A bíblia condena em diversos textos, não condenando somente a adoração a ídolos, como também a todo e qualquer ser, ou ideal, além do Deus único e verdadeiro. Se somos evangélicos, não há como desobedecer este mandamento tão cristalino das escrituras!

A imprensa brasileira, que expressa o pensamento dos formadores de opinião, fez durante décadas, uma caricatura dos evangélicos: analfabetos, ignorantes, pobres, entre outros; sem esquecer o mais recente, homofóbicos. Claro que embora não sejamos os mais letrados, os mais bem-educados, os mais ricos e os mais tolerantes, em nossa totalidade nunca fomos como eles nos pintaram ou nos pintam! Mas antes sermos caricaturados que expormos ao ridículo o evangelho de Cristo!

Caríssimos irmãos, precisamos ser que mais enfáticos na nossa declaração de fé! Ser evangélico não deve ser apenas a última moda de alguns, que por motivos diversos se imiscuam em nosso meio e declaram a nossa fé, mas não vivem os princípios que nos são exarados na Palavra de Deus! Basta de evangélicos nominais! Basta de evangélicos sem atitudes cristãs! Não precisamos de famosos pseudo-convertidos para tornar nossa fé aceitável. Precisamos mais que declarações de adesão; precisamos de verdadeiras conversões!

Não quero cultuar  nossa caricatura, mas antes estereotipado e ridicularizado como crente (analfabeto, ignorante, pobre, homofóbico) sendo fiel aos princípios da palavra de Deus, que aplaudido como gospel, cristão moderninho, religioso tolerante e inteligente, e para manter esse “status” viver negando a fé!


Compartilhar:
← Postagens mais recentes Postagens mais antigas → Página inicial

Seguidores

Total de visualizações

pr. Jonatas de Oliveira. Tecnologia do Blogger.

Sample text

Ads 468x60px

Sobre o autor

Minha foto
Governador Valadares, Minas Gerais, Brazil
Jonatas de Oliveira, casado com Adiléia Portugal desde 1997, pai de Isaac Anthony e Déborah Cissa; aceitou a Cristo em 1979 e foi batizado em janeiro de 1988; separado ao ministério em São Paulo na Assembléia de Deus - Ministério do Belém em janeiro de 2000, tem desde então pastoreado em Aparecida de Goiânia-GO, Belo Horizonte-MG, Francisco Badaró (no Vale do Jequitinhonha), Periquito-MG, Capitão Andrade-MG, e atualmente em Governador Valadares, onde serve tambem como segundo secretário do Ministério.

Featured Posts

Pesquisar este blog

Popular Posts

Pages

Teste Teste Teste Teste

Blogger templates

Most Trending

Popular Posts

Bem-vindo ao livro online