terça-feira, 24 de janeiro de 2012

PROMOÇÃO BBB - ESTUPRO (???) AO VIVO


PROMOÇÃO BBB – ALCOOLISMO, BAIXARIA, ESTUPRO – AO VIVO – DÊ UMA ESPIADINHA – ESCANDALIZE-SE.
O que o BBB está fazendo com o povo brasileiro não é apenas estupidificação, como disse Antônio Veronese. É borcar na face do nosso povo. Assusta-me o baixo nível a que chegou a TV brasileira. Além de ter que suportar programas de auditórios ridículos; novelas que são verdadeiras propagandas de adultério, homossexualismo, e outras imoralidades no horário nobre, suportamos todo início de ano um grupo de alpinistas sociais à toa numa casa, sempre seminus, preparando para fazer alguma propaganda de TV, ou posar para alguma revista masculina.
Esse ano a coisa passou da medida. Um suposto(???) estupro ao vivo, uma investigação de faz de conta, uma emissora que usa seu dinheiro para se impor até à polícia; pois se um cidadão comum for acusado de estupro, é arrastado até a uma delegacia para se defender, o que está correto; mas como ocorreu em um programa da Globo, o delegado vai até a emissora, ouve os envolvidos  e fica tudo por isso mesmo; um absurdo. Quer cometer um crime? Espere a seleção para do BBB 13.
Agora, o fim da linha mesmo, é ver duas participantes se declararem “evangélicas” e participarem destas aberrações; e a minha irritabilidade chega a níveis insuportáveis ao ouvir alguém dizer que estão ali para testemunhar do evangelho. Todos os participantes naturalmente concordam com as imoralidades que ali ocorrem,uma vez que não podem criticar; aliás, se alguém ainda pensa ou diz que “evangélicos” (???) estão ali para testemunharem, está nos considerando totalmente desinteligentes (pra não usar um termo muito grosseiro)!  O verdadeiro evangelho não se mistura com imoralidade; a exposição pública da intimidade do corpo para produzir lucro para quem quer que seja nada mais é que prostituição.  O verdadeiro evangelho é incompatível com falta de pudor! O evangelho “glospel” (junção de Globo e gospel), como sempre diz o pr. Ciro Zibordi, um apologista a quem respeito muito, pode ser comparado ao evangelho rico de dinheiro e miserável de espiritualidade dito na carta ao anjo da igreja de Laodicéia.






Diante de tantos absurdos, convido você leitor, a boicotar esse programa e outros do gênero, inclusive A Fazenda, apresentado na Rede Record, que não perde em nada para o BBB; A Fazenda consegue ser pior, por ser apresentado em uma TV adquirida com dinheiro dos frequentadores da denominação religiosa controladora da emissora.
Basta de estupros, xingamentos e outras baixarias; mesmo de quem se diz irmão. Por essas e muitas outras prefiro ser chamado de crente ou protestante. 

Compartilhar:

domingo, 15 de janeiro de 2012

HOMENS VELHOS QUE NÃO NASCERAM.




QUANDO JESUS FALOU COM NICODEMOS QUE ELE TERIA QUE NASCER DE NOVO CAUSOU UM TREMENDO SUSTO. MAS NOVO NASCIMENTO CAUSA SUSTO ATÉ HOJE. MESMO EM ALGUNS CRISTÃOS QUE CONHECEM O TEXTO HÁ ANOS. UM FATO QUE NÃO SE PODE NEGAR É QUE NEM TODOS QUE SE DECLARAM CRISTÃOS NASCERAM DE NOVO. ALIÁS, BOA PARTE!
UM CLARO SINAL É O COMPORTAMENTO CONTRÁRIO AO CRISTIANISMO! SOMOS CRISTÃOS, MAS AGIMOS COMO SE CRISTO NÃO MORASSE EM NÓS. VIVEMOS UMA VIDA NEM SEMPRE PAUTADA PELOS ENSINAMENTOS DE CRISTO. SOMOS MALDIZENTES, DESONESTOS, MENTIROSOS, DIFAMADORES, CONTENCIOSOS, DADOS À FÉ PALPÁVEL, ADORADORES INTERESSADOS, RELAPSOS EM LER A PALAVRA... A LISTA É QUASE INTERMINÁVEL. DIGO “SOMOS”, NÃO PARA GENERALIZAR, MAS PARA NÃO ARRISCAR APONTAR OS OUTROS SEM OLHAR A MIM MESMO.
UM GRANDE MOMENTO DO CRISTIANISMO FOI A REFORMA! QUE DELÍCIA! ÉRAMOS PROTESTANTES! PROTESTÁVAMOS CONTRA A IDOLATRIA; HOJE CRIAMOS A IDOLATRIA EVANGÉLICA DOS OBJETOS DE FÉ QUE A BÍBLIA NUNCA ENSINOU. PROTESTÁVAMOS CONTRA O ADULTÉRIO, MAS HÁ DENOMINAÇÕES QUE BATIZAM E MINISTRAM CEIA A QUEM VIVE EM ADULTÉRIO. ACEITAMOS TODO TIPO DE IDIOSSINCRASIA, EM NOME DE UM AMOR HIPÓCRITA QUE NOS IMPEDE DE ENSINAR QUE O CRENTE DEVE SIM ABANDONAR O PECADO, POIS ELE IMPEDE A COMUNHÃO COM DEUS E AINDA CONDUZ O HOMEM AO INFERNO.
COM MEDO DE FICAREM COM UM NÚMERO PEQUENO NOS TEMPLOS, MUITAS DENOMINAÇÕES NÃO ENSINAM MAIS A PALAVRA E ABRIRAM MÃO DA PUREZA DOUTRINÁRIA, PASSANDO A PRATICAR O EVANGELHO ACEITÁVEL, AGRADÁVEL, E MEDÍOCRE. O EVANGELHO NÃO FOI FEITO PARA FERIR NINGUÉM, MAS TAMBÉM NÃO FOI FEITO PARA ENCOBRIR OS PECADOS DE NINGUÉM. EVANGÉLICOS COM CARÁTER DEFORMADO, OU AMORAIS SÃO APENAS RELIGIOSOS, NADA MAIS QUE ISTO.
SE NÃO NASCERMOS DE NOVO, CORREMOS O RISCO DE FAZER PARTE DE UMA IGREJA, AUTODECLARARMOS CRISTÃOS, E NÃO PROVARMOS AS DELÍCIAS DA NOVA VIDA EM CRISTO. PIOR AINDA, CORREMOS O RISCO DE PERDERMOS AS BÊNÇÃOS ETERNAS DOS CÉUS POR CAUSA DAS BENESSES E PRAZERES PASSAGEIROS DA TERRA.
SEJAMOS PROTESTANTES CRENTES, EVANGÉLICOS, LEVITAS, ADORADORES, E TUDO MAIS; MAS ANTES DE SERMOS TUDO ISSO, OU AO MENOS UMA DESTAS COISAS, NASÇAMOS DE NOVO!

Compartilhar:

sábado, 14 de janeiro de 2012

VOCÊ FAZ XIXI NAS PESSOAS??????






A onda agora é fazer xixi no inimigo, como fizeram os “Marines”!
Não basta você dominar um povo! Não basta tomar a nacionalidade deste povo! Não basta colocar sobre esse povo, governantes de faixada, verdadeiros vassalos! Não basta tentar impor-lhes uma nova cultura, um “novo modo” de viver! Não basta levar seus criminosos para uma prisão “segura” em uma base militar, (afinal criminosos não merecem respeito)! Não basta jogar bombardear cirurgicamente civis para alcançar objetivos militares; É preciso fazer xixi nos seus mortos.
 Sim! Tem que fazer xixi neles para mostrar o quanto são superiores e poderosos. O xixi é a nova bomba. Não mata ninguém, mas humilha um povo, uma nação. Os marines avisam o mundo: Cuidado, nós sabemos fazer xixi! Somos bons nisso. Implantamos a “democracia”; oferecemos treinamentos, inclusive para torturar e colocar homens na coleira; somos especialistas em encontrar armas químicas inexistentes ou invisíveis; e ainda fazemos xixi. Preparem-se, mortos: Os soldados da “PAX AMERICANA” estão chegando e urinarão (pra dizer elegantemente) em vocês!
Mas isso é sintomático. No Brasil não estamos muito melhores! Não fazemos xixi em cadáveres. Mas jogamos crianças pela janela do sexto andar, afinal crianças dão muito trabalho! Nossos “homens” agridem e até matam suas mulheres, afinal elas são apenas propriedade, uma extensão da casa ou dos móveis da casa! Sabemos cobrar uma dívida como ninguém, nem que arrebentemos a cara de uma velhinha! Ninguém entrega crack, essa droga maldita, como nós; nem que pra disfarçar, nossos traficantes tenham que levar uma bebê de um aninho, isso mesmo, um aninho!
Vamos falar da nossa seara! Aos nossos “pregadores-celebridades” não basta viajar em aviões; têm que ser no jato particular, afinal aeroporto é coisa de pobre, e Jesus andava de BMW!  Não basta a eles ensinar dízimos, ofertas, ofertas alçadas e votos; tem que criar o trízimo (palavra inexistente no português), as cota de clubes de ganhadores de almas, as sementes a serem semeadas em bons terrenos, no caso eles próprios (quanta cabotinagem!)!!! Não basta a unção com óleo pelos presbíteros, tem que dar o óleo, a coluninha, a chave, a rosa, o cimento ungido, o travesseiro laxante, o lencinho e todo tipo de bugiganga que os crentes desavisados (que não frequentam estudo bíblico e escola dominical) comprarão para serem os “novos idólatras” da fé baseada visível e palpável; têm que dizer que não estão vendendo, mas só “doando estas relíquias” a quem manda uma oferta de 100, 200 e até 10.000,00 reais (eles precisam ler A relíquia – Eça de Queirós). Não basta a eles pastorearem; têm que serem donos das igrejas, ou melhor do rebanho, onde, agindo como empresários lucram mais. Aos nossos cantores não basta serem cantores ou adoradores; têm que serem “artistas”, assim poderão captar recursos públicos (Lei Rouanet); mesmo que para isso não possam mais se “apresentarem” em eventos da igreja, mas em shows! Argh!!!! Vou parar por aqui, senão escreverei duas laudas! Nem Freud explica esses atos absurdos, nojentos e desprezíveis.
Mas Jesus explicou a decadência do ser humano e de alguns cristãos decadentes. Em Mateus capítulo 24 versículos 12: “A maldade aumentará de tal maneira que em muitos o amor arrefecerá”.  (Bíblia Boa Nova Tradução em Português Corrente). Paulo nos ensina reconhece-los. 1ª Coríntios 6: 9, 10. Parafraseando a parábola do samaritano, temos sacerdotes, levitas e escribas demais, e bons samaritanos de menos. Se alguém pergunta: Onde o ser humano vai parar, vai ai outra resposta bíblica clara e atual: Daniel capítulo 12 versículo 10 “... alguns serão purificados e aperfeiçoados; mas os ímpios procederão impiamente...” A maldade do ser humano aumenta tanto, que sua atitude o torna paradoxalmente pior que os animais!
Mas para o povo de Deus há uma esperança. Há um repouso para o povo de Deus. Hebreus 4: 9, 10. Consola-nos também Isaías capítulo 35 versículo 8: Haverá ali uma estrada que será chamada de “Caminho da Santidade”. Nela, não caminharão os impuros, pois ela pertence somente ao povo de Deus. Não percamos a esperança; antes permaneçamos firmes até o fim!

Compartilhar:

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Ufa! Enfim alguém reconheceu: musica gospel é arte, apenas isso.






Música gospel é reconhecida por decreto como manifestação cultural. Yes! Música gospel também é cultura!
Muitos considerarão isto um grande feito, um grande avanço para a música gospel. “Vejam só, gente! Nós, antes considerados por muitos intelectuais como um povinho sem cultura, agora produzimos cultura”!!!! Isso é que é progresso!!!!!!! Será mesmo um progresso? Eu não gostaria de ser reconhecido por decreto, melhor seria o reconhecimento por atitudes e valores. Mas enfim, isto é uma posição pessoal minha.
Nada contra a cultura, aliás, sempre critiquei a música gospel por sua poesia limitada e algumas vezes “de pé quebrado” como diria a crítica competentíssima de Heloisa Buarque de Hollanda. Não quero criticar por criticar, mas por notar que a música gospel está cada vez mais desassociada da música sacra. Para os especialistas em produção musical, a música gospel brasileira deveria ser chamada de música cristã contemporânea, pois usa ritmo pop, métodos seculares de gravação, produção, distribuição e divulgação da música de entretenimento.
Com tal decreto os cantores da música gospel agora são “artistas”; na verdade a maioria deles já agia como tal. Não vejo porque um adorador procurar reconhecimento de artista; a música gospel não é mais música religiosa ou doutrinária, mas arte comum, portanto não mais hinos e sim música secular.  O tão celebrado decreto de reconhecimento que abre possibilidade dos “artistas” poderem captar recursos com os incentivos fiscais da Lei Rouanet, reza que, caso os “artistas” recebam qualquer incentivo fiscal não poderão se apresentar em eventos promovidos pelas igrejas.
Isto mostra que a cada dia a música gospel cada dia mais se afasta dos hinos de adoração (com pequenas exceções); seja por seu conteúdo teologicamente equivocado, seu antropocentrismo, sua visão mais comercial que espiritual, como por suas apresentações dançantes, algumas com balé; sem contar os músicos das gravações ao vivo, que em sua maioria, sequer são cristãos; um desprezo a tantos músicos cristãos capazes e abençoados que temos.
Evidente que nem tudo é ruim. Existem sim compositores verdadeiramente cristãos. Mas, não por coincidência, preferem compor hinos ao invés de músicas; por  às vezes recebem “elogios” como: ... Muito tradicional... Ainda não entendeu as novas tendências... Seus hinos são muito clássicos... Enfim, não são antenados! Há também excelentes cantores na nova geração, sem dúvida; mas não estão na mídia, por não abrirem mão de seus princípios.
Para os “artistas”, estes cantores são tidos como “atrasados”, pois ainda cantam em igrejas, e participam de cultos, ouvem pregações e coisas assim.
Sem qualquer saudosismo, prefiro hinos de adoração e proclamação do evangelho, que as músicas sazonais do mundo gospel; sazonais sim, pois são fases: tem a fase dos “sonhos de Deus”, depois vem à fase das “unções”, depois a fase do determina, determina, determina, determina...  sem contar os hinos rancorosos, do tipo: ...você não me ajudou antes, agora tem que me aplaudir; ...agora estou no palco e você na plateia; ...se tocar no ungido vai de cara na poeira... Bons hinos devem exaltar a Deus, falar da obra de salvação, falar da esperança do céu, falar da vida transformada que Jesus espera que vivamos. Tudo isso com uma poesia coesa e singela.
Que os poetas nos presentei com belas canções que elevam nossas almas a Deus e os cantores evoquem a singeleza da nossa alma com suas lindas vozes exaltando ao Deus do céu!.

Compartilhar:

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

A palatável mistura do sagrado e do profano




(Isaias 5: 18; 20). Ai dos que se amarram aos seus pecados com mentiras! Eles andam arrastando a sua maldade como quem puxa um carro...   Ai dos que chamam de mau aquilo que é bom e que chamam de bom aquilo que é mau; que fazem a luz virar escuridão e a escuridão virar luz; que fazem o amargo ficar doce e o que é doce ficar amargo!

Dizem que vivemos os tempos chamados pós-modernos! É o nome dado às mudanças iniciadas nos anos 50, nas ciências,  nas artes e nas sociedade em geral. Essas mudanças influenciaram todas as áreas da sociedade humana, inclusive no  campo religioso.  Como a proposta deste blog é participar, dando opiniões sem a presunção de ensinar, sinto a necessidade de falar destas transformações no meio do povo cristão e evangélico da nossa nação.
Tenho acompanhado estas mudanças desde os anos 80, quando me converti. Essas transformações nos trouxeram mudanças extremamente positivas. O acesso ao conhecimento, o apreço de boa parte do povo de Deus pelo estudo da teologia, a melhora estrutural dos templos, o avanço de denominações evangélicas e pentecostais compromissadas com a ortodoxia doutrinária e o processo de renovação ocorridos em correntes de algumas denominações históricas.
Mas junto com boas mudanças, vimos nascer (e florescer) no meio do povo de  Deus ervas danosas. Poderíamos apontar a Teologia da Prosperidade, a Confissão Positiva e muitas outras correntes doutrinárias do neopentecostalismo. A fim de ser mais sucinto, gostaria de abordar a questão desta mistura anti-bíblica do sagrado e do profano que tem sido disfarçada na ideia politicamente correta do ecumenismo que acaba por se tornar uma grande miscelânea de crenças e modos de adoração.
Um bom exemplo disto foi a visita da “pastora” Ana Lúcia ao Esquenta, um programa de auditório exibido os domingos pela TV Globo. Não quero aqui fazer uma crítica pessoal, nem tenciono expor pejorativamente a pessoa citada, mas apenas me ater ao fato. Aliás, criticar e ser criticado livremente é um dos benefícios dos blogs; sempre de maneira respeitosa.
A “pastora”(???) disse que a sua conversão se deu por causa da cura de seu filho. A cura do filho ou de qualquer ente querido ou amigo pode ser de muita influência para crermos no poder de Jesus como filho de Deus e nosso salvador; porém a conversão não pode se dar apenas por causa de um milagre ou benção recebida, é necessário que o pecador reconheça a sua condição pecaminosa e creia que somente Cristo, por sua paixão, morte e ressurreição, tem o poder de nos salvar.
Outro ponto interessante de três que destaco, é a sua predileção por músicas não comuns à vida de um cristão. Ela demonstra isso ao dizer que quer se casar ao som de “Como é grande o meu amor por você” e que ao visitar um lar e ver lá um DVD de Alcione, ela perguntou se podiam ver o DVD antes de orarem. Não se trata de desprezar talento poético ou musical de Roberto Carlos ou Alcione; sabemos que estes e muitos outros são cantores e poetas de grande apelo popular; mas causa estranheza uma “pastora” (???) programar para se casar ao som de música romântica e não ao som de hinos que podem exaltar a Deus e invocar Sua benção em uma decisão importante como o casamento; francamente, me sentiria deslocado em realizar um casamento com tal trilha sonora.
Fica ainda mais paradoxal uma “pastora” (???), numa visita a um lar desejar primeiro ver um DVD de Alcione antes de orar. Uma visita pastoral a um lar é sempre um momento em que o obreiro cristão deve levar aquela família a meditar na importância e na eficácia do poder da palavra de Deus para nos estimular em momentos de fraqueza e nos orientar em momentos de dúvidas ou preocupações. Até penso que se for possível ao pastor cantar algum hino seja “à capela” ou acompanhado pelos acordes gentis de um violão pode ser produtivo, uma vez que a boa música sacra quebranta nossas almas para um momento de súplica ou gratidão. Mas francamente não vejo onde um DVD de samba ou qualquer outra música possa desempenhar este papel.
Finalizando esta parte, ela solta uma verdadeira pérola: Nem tudo me convém fazer, porque vão me julgar. Ora! Hoje as pessoas estão deixando de fazer algo não por causa de Cristo e sim dos “outros”. E sempre que alguém faz algo passível de crítica e reprovação, usam o argumento implícito neste pensamento dela de que não podemos julgar uns aos outros. Isto falta de conhecimento exegético ou uso errado da bíblia sagrada para advogar a si mesmo. Quando Jesus proíbe o julgamento ele fala do julgamento hipócrita de condenar outros por um pecado que quem julga também esteja a praticar; Jesus também condenou o julgamento baseado no critério pessoal, mas deixou bem claro que a Sua palavra pode julgar (Joao 12: 47, 48). Então convenhamos que não e o julgamento dos “outros” que deve nos preocupar, mas sim o julgamento divino, segundo o que Paulo nos ensina em 1ª Coríntios 4: 3, 4.
Pior que estas três questões que levanto, é o espírito com que elas são promovidas. Estamos diante de uma estratégia clara de se secularizar o evangelho em nosso país. Em nome de boas oportunidades para se pregar o evangelho, muitos evangélicos estão sendo ludibriados. Tenho visto muitas pessoas boas e talentosas serem, como foi Josué, levadas por conversas de gibeonitas (Josué 9: 3 16). Chega ser curioso, que uma associação de pastores como a Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil, com mais de dezoito mil ministros jamais tenha sido chamada pela TV Globo para opinar em qualquer assunto relevante. É porque na verdade não querem correr o risco de dar voz a um evangelho que conteste suas diretrizes; procuram um evangelho que os avalize ou que lhes dê lucro.  Não os critico, pois é uma empresa que visa seus lucros e interesses; critico, com respeito, mas com sinceridade, os evangélicos que se prestam a esse papel e que também lucram com isso. O apóstolo Tiago diz que da mesma fonte não pode fluir agua doce e salgada (Tiago 3: 12); Jesus disse antes que espinheiro não pode produzir uvas (Mateus 7: 16 21). 

O sagrado não pode ser misturado ao profano! Devemos amar a todos, respeitar a todos; mas denunciar o pecado é dever da igreja; com pena de ela perder a sua essência e sua missão, que é denunciar o pecado e mostrar um Salvador que regenera-nos, e liberta-nos das garras do pecado. Se não há pecado ou a denúncia deste, quem sentirá necessidade de buscar um Salvador? E acima de tudo devemos fugir da cilada de em nome do respeito às pessoas e às suas opiniões, mostrar Jesus como um dos caminhos para a salvação. O cristão deve anunciar a Jesus como o único caminho que pode levar o homem a Deus (João 14: 6 e Atos 4: 10, 12).
Deixemos as oportunidades convenientes e preguemos o evangelho. Não fomos chamados para sermos “suingueiros ou sambistas ou roqueiros de Jesus”, e sim pregadores do Seu evangelho transformador. Não confundamos o nosso desejo de ser vistos ou lucrarmos algum bem financeiro, com porta aberta para o evangelho. Paulo, ao dizer que uma porta se abrira ao evangelho e havia muitos adversários (1ªCoríntios 16: 9).  Quando os adversários do evangelho se aproximar dele sem se converterem, penso que devemos ser mais cuidadosos para não sermos enredados em seus ardis.
Que Deus nos ajude!










Compartilhar:
← Postagens mais recentes Página inicial

Seguidores

Total de visualizações

pr. Jonatas de Oliveira. Tecnologia do Blogger.

Sample text

Ads 468x60px

Sobre o autor

Minha foto
Governador Valadares, Minas Gerais, Brazil
Jonatas de Oliveira, casado com Adiléia Portugal desde 1997, pai de Isaac Anthony e Déborah Cissa; aceitou a Cristo em 1979 e foi batizado em janeiro de 1988; separado ao ministério em São Paulo na Assembléia de Deus - Ministério do Belém em janeiro de 2000, tem desde então pastoreado em Aparecida de Goiânia-GO, Belo Horizonte-MG, Francisco Badaró (no Vale do Jequitinhonha), Periquito-MG, Capitão Andrade-MG, e atualmente em Governador Valadares, onde serve tambem como segundo secretário do Ministério.

Featured Posts

Pesquisar este blog

Popular Posts

Pages

Teste Teste Teste Teste

Blogger templates

Most Trending

Popular Posts

Bem-vindo ao livro online